Educação corporativa: diferencial competitivo das organizações

A cada dia que passa os desafios enfrentados pelas Empresas são cada vez mais rápidos e complexos, por motivo da crescente competitividade e da globalização.

Os novos tempos pedem novas técnicas de gestão do ativo humano das organizações. Pede processos integrados e fundamentados nas competências e habilidades pessoais e profissionais. Pede empreendedores individuais e não mais simples colaboradores e cumpridores de normas e procedimentos.

Com o objetivo de se tornarem competitivas ou aumentar os seus níveis de competitividade, as empresas têm investido e consumido muito tempo e recursos na busca de modernização. Porém, de pouco adiantarão os modernos equipamentos e sistemas se não houver mentes emocionalmente equilibradas para fazê-los funcionar, com habilidades para pensar e sentir antes de agir.

Algumas empresas têm assumido uma postura arrojada e corajosa, à medida que conseguem uma ruptura deste paradigma na gestão organizacional, pois já perceberam que a empresa estrategicamente vencedora será aquela formada necessariamente por seres humanos vencedores.

Portanto, se as empresas quiserem comportamentos eficazes terão que criar condições ambientais favoráveis a estas mudanças, através de um ambiente de aprendizagem, proporcionando programas de educação onde o ser humano possa desenvolver suas capacidades, estar em permanente aprimoramento, para que ele possa agir integralmente ( mente racional e emocional). Ou seja, precisam promover a gestão do conhecimento organizacional com eficácia para gerar sucesso no negócio.

É sabido que só há mudança nas pessoas se houver mudanças de seus valores. Portanto, é preciso atuar nos valores dos indivíduos para tornar a mudança comportamental efetiva.

Os programas de desenvolvimento que buscam promover mudanças nas organizações resultam de um trabalho continuado e persistente, processo constituído por um determinado número de etapas, portanto necessitando de empenho, dedicação e repetição.
As Universidades Corporativas têm por objetivo principal desenvolver nos profissionais as competências essenciais (empresariais e humanas), para a viabilização das estratégicas empresariais.

Elas iniciaram como fruto do exemplo das multinacionais e têm uma necessidade premente de capacitar seus colaboradores para um novo ambiente de negócios, onde o conhecimento e novas habilidades são diferença competitiva em um mercado global. Portanto, se os desafios são globais e não locais, deve-se pensar globalmente para agir localmente e os sistemas de educação corporativa devem fazer parte desse repensar.

Os Programas de Educação Corporativa bem sucedidos são os que implementam projetos de desenvolvimento de talentos, atrelados às estratégias de negócios, aumentando assim a capacidade de competir das empresas. Assim sendo, talentos humanos e competitividade empresarial são indissociáveis. Impossível aumentar a competitividade sem que ela esteja apoiada em talentos possuidores das competências essenciais e atuantes em cultura, estrutura e processos internos igualmente competitivos.

O principal fator de sucesso das Universidades Corporativas é desenvolver e instalar as competências essenciais (empresariais e humanas), para que viabilizem as estratégias negociais da empresa.

Para que seja construída com sucesso a ponte entre o desenvolvimento de talentos humanos (competências humanas) e as estratégias de negócio (competências empresariais), é necessário que sejam respeitados os pressupostos básicos da concepção de um projeto de Universidade Corporativa, tais como:

• A identificação das competências essenciais – empresariais e humanas- deve ser a base sobre a qual se construirá todo o sistema.

• Para realizar o diagnóstico das competências empresariais é necessário discutir as estratégias empresariais, o que requer obrigatoriamente a participação e comprometimento da alta administração no processo.

• As competências essenciais não se limitam apenas às paredes da organização, mas também estão na cadeia de agregação de valor: sócios, empreendedores individuais, parceiros, fornecedores, distribuidores, etc.

Somente desta forma a Educação Corporativa será o principal veículo de integração e disseminação de uma Cultura Empresarial de Competência e Resultado, apoiando todos os talentos internos e externos no processo de aquisição das competências humanas essenciais, que permitirão com que agreguem valor ao negócio, gerando resultado para a empresa, seus clientes e acionistas. Estará cumprindo sua missão primordial que é a instalação da prática qualificada da gestão por competências e resultados. Aumentando, com isso, a competitividade no mercado.