Postura e comprometimento da mulher na política

Angela Merkel, Ellen Johnson Sirleaf, Michelle Bachelet e Dilma Roussef. Há um bom tempo não víamos tantas mulheres no poder. Elas são pioneiras em seus países.
Porém, a participação da mulher na política ainda é muito pequena, e isso também revela a natureza atrasada de nossa sociedade, uma sociedade conservadora, onde ainda permanece o ranço de uma sociedade patriarcal, patrimonialista, em que a mulher era considerada patrimônio do homem. Porém, as mulheres estando preparadas, têm muito como contribuir para a sociedade.
Vivemos um bom momento para as mulheres se afirmarem mais decisivamente na comunidade mundial, mas mesmo assim, há um longo caminho de futuras conquistas, já que ainda somos minoria, seja no poder do mundo político, do econômico ou mesmo do acadêmico.
Porém, é essencial que a mulher amplie seus espaços nas diversas instâncias sociais, para a conquista de poder, dos direitos e, inclusive, da luta pela igualdade.
É muito importante que a mulher dispute o poder, exerça o poder enquanto mulher, com características próprias, com sensibilidade, com senso de justiça, com a preocupação ética no trato da coisa pública. Temos características próprias e por isso terminamos fazendo a diferença em relação aos homens. Não no sentido de nos considerarmos melhores, mas complementares. E para isso é essencial que haja diálogo, aproximação e compreensão entre homens e mulheres, para que quaisquer diferenças sejam sempre equalizadas.
Nós, mulheres, possuímos um sentido de responsabilidade muito grande, principalmente por causa da maternidade, que faz com que nos dediquemos mais aos outros.
Mas ainda precisamos desenvolver nossas competências interpessoais a fim de transitarmos com eficácia pelo mundo masculino. Para isso é necessário que nos conscientizemos que nossa postura e nossa ética profissional estão sempre presentes na avaliação de todos com quem temos contato, seja de forma presencial, quanto de forma virtual (via internet).
A forma de vestir, de falar, de gesticular, de sorrir em vez de rir, e toda a forma correta de se relacionar com os demais, devem fazer parte como premissa essencial para a construção da imagem ética da mulher profissional e também da mulher na vida política.
Esta postura ética adequada, juntamente com seu comprometimento quanto ao seu discurso alinhado com a sua prática lhe darão a credibilidade que precisa para lograr êxito em sua plataforma política. Portanto, o momento exige conhecimento, habilidades, conexões, articulações e comprometimento.